• Rádio JoãoNeiva.com

João Neiva.com

Notícias

11/11/2013

Tufão deixa mais de 10 mil mortos e 330 mil desabrigados nas Filipinas

ampliar imagem

Cidade de Tacloban foi a mais afetada. Tufão já deixou mortos no Vietnã e Taiwan

A passagem do tufão Haiyan pelas Filipinas nos últimos dias 7 e 8 de novembro deste ano deixou um rastro de mortes e destruição. Segundo balanço divulgado por fontes oficiais, mais de dez mil pessoas morreram no país. No total, há aproximadamente 330 mil  desabrigados.

 

A maior parte das vítimas fatais residia na cidade de Tacloban, capital da província de Leyte, que ficou cerca de 75% destruída após a passagem do tufão. O Haiyan provocou rajads de ventos que ultrapassaram os 300 km/h.

As principais causas das mortes foram a queda de objetos e de edifícios, além de uma alta da maré, com fortes ondas. Uma espessa camada de barro, carros arrastados pela água, árvores derrubadas e escombros de casas e edifícios destruídos são uma constante nas imagens exibidas pelas redes de televisão filipinas sobre a situação de Tacloban.

 

De acordo com o ministro da Defesa das Filipinas, Voltaire Gazmin, a maioria dos sobreviventes está sem acesso a eletricidade, água potável e alimentos, o que torna a situação ainda mais grave. Segundo a imprensa local, essa situação tem impulsionado saques generalizados ao comércio da cidade. "A situação em Tacloban é caótica agora (...) Já está tudo saqueado, as pessoas inclusive destruíram caixas eletrônicos para roubar dinheiro", afirmou Roger Mercado, governador da província do Sul de Leyte, em entrevista à imprensa.

 

A falta de mantimentos de primeira necessidade tornou a situação na cidade insustentável, e milhares de pessoas buscam e imploram por um lugar nos helicópteros militares para deixar a cidade. As equipes de resgate ainda não conseguiram se espalhar totalmente pela ilha, por isso muitas regiões ainda estão incomunicáveis, e não se sabe qual é sua situação. 

 

Além de Tacloban, a ilha filipina de Samar, ao leste do país, também foi bastante atingida. Autoridades locais estimam que pelo menos 300 pessoas morreram e duas mil estão desaparecidas. 

 

O tufão Haiyan é o 24º a atingir as Filipinas só neste ano. Antes de sua chegada às Filipinas os meteorologistas já alertavam que ele poderia ter um efeito devastador ainda maior que o do tufão Bopha, que matou cerca de mil pessoas em 2012.  

 

Vietnã

Na manhã desta sgeunda-feira (11), o tufão Haiyan atingiu o norte do Vietnã, com ventos de mais de 100 km/h. Em menor intensidade, o tufão deve  fazer deslocamentos a  velocidades de 30 km/h com ventos de entre 62 e 88 km/h com picos de até 117 km/h.

 

Em Ha Long, várias ruas ficaram inundadas pela alta do mar de meio metro. O ventos arrancou árvores e causou danos em várias casas. Pelo menos cinco pessoas morreram e cerca de 22 ficaram feridas. O governo vietnamita ordenou a evacuação de cerca de 600 mil pessoas da região do litoral central e norte do país. O Centro Nacional de Previsões Meteorológicas do Vietnã prevê que o Haiyan deixe o país pela tarde e siga em direção às províncias do sul da China.

 

China

Diante da aproximação do tufão Haiyan, as autoridades chinesas ativaram no domingo (10) o alerta vermelho, o de maior gravidade. No final de semana, uma embarcação com sete tripulantes desapareceu no mar do sul do China por causa da forte agitação do mar em decorrência da aproximação do fenômeno. Os sete tripulantes permanecem desaparecidos.

 

Além dos 7 desaparecidos, o tufão Haiyan deixou quatro mortos no sul da China. Na ilha de Hainan, uma tempestade causou três mortes e afetou 500 mil pessoas, das quais 39 mil tiveram de ser evacuadas. De acordo com o Departamento provincial de Assuntos Civis, cerca de 650 casas foram destruídas ou ficaram danificadas.  A outra vítima fatal morreu  afogada na cidade litorânea de Beihai.

 

Taiwan

A aproximação do tufão Haiyan ao litoral de taiwan provocou fortes ondas na costa nordeste do país, que resultaram na morte de oito pessoas, segundo as autoridades locais. No último sábado (9), um grupo de 26 pessoas que participava  de um curso em um parque geológico próximo à costa nordeste da ilha foi atingido por três grandes ondas de oito metros de altura. Dezesseis pessoas foram epurradas ao mar. Após horas de operação de resgate, as equipes de salvamento confirmaram a morte da metade das vítimas.

NT

[ + notícias ] Veja também
Desenvolvido por: EUTEVI MIX © Copyright 2018 - Todos os direitos reservados.